Código de Conduta ORA

As circunstâncias em que os auditores desenvolvem a sua actividade podem criar ameaças específicas ao cumprimento dos princípios éticos fundamentais. É impossível identificar todas as situações que podem criar tais ameaças e especificar as acções para as mitigar. O Código de Ética e Deontologia Profissional dos Revisores Oficiais de Contas estabelece uma estrutura conceptual que exige que o auditor identifique, avalie, e responda de forma adequada às ameaças ao cumprimento dos princípios fundamentais.

O auditor deve estabelecer os controlos e procedimentos de auditoria necessários que lhe permitam identificar qualquer ameaça significativa que possa afectar o desenvolvimento da sua prática profissional e, na medida do possível, planear as acções apropriadas para cada tipo de ameaça.

Quando o auditor determinar que não estão disponíveis salvaguardas apropriadas ou elas não podem ser aplicadas para eliminar as ameaças ou reduzi-las a um nível aceitável, deve eliminar a circunstância ou o relacionamento que cria as ameaças ou recusar o trabalho ou renunciar ao mandato.

Não obstante a existência de um normativo aplicável aos Revisores Oficiais de Contas, a nossa Sociedade, em Julho de 2007, aprovou o seu Código de Conduta. Este documento tem como objectivo adoptar as melhores práticas das organizações nesta matéria e, simultaneamente, fornecer a todos os colaboradores um instrumento que permita definir e balizar um conjunto de valores éticos fundamentais que devem fazer parte da nossa cultura e actuação como sociedade de profissionais de auditoria.

Se desejar conhecer o nosso Código de Conduta, carregue no link abaixo:


 »  Código de Conduta OR&A